domingo, 7 de janeiro de 2018

CARICATURA DIGITAL MARILYN MONROE - MIGUEL SOUTO

Essa é a caricatura que fiz de uma das mulheres mais lindas do século XX, Norma Jeane Mortenson ou Marilyn Monroe. Trata-se de uma reformulação. A primeira que fiz em janeiro deste ano o resultado não foi satisfatório. Agora, sim.


CARICATURA MARILYN MONROE - MIGUEL SOUTO


Já havia assistido algum filme dela e visto várias matérias e imagens da mesma, porém esse ano a redescobri. Assisti praticamente todos os filmes protagonizados por ela, incluindo o último "The Misfits" - Os desajustados de 1961 (com roteiro que relatava parcialmente sua solidão após um recém divórcio e aflição perante ações agressivas do novo amante. Nesse filme, percebemos sua tristeza pessoal se sobressair na tela, às vezes). 

Porém o filme que definitivamente mais gostei foi "Some Like It Hot" - Quanto mais Quente Melhor de 1959, onde dois homens fugindo da máfia se fingem de mulheres e viajam com um grupo musical feminino. Há partes hilárias. A essência da história lembra-nos o filme "White Chicks" - As Branquelas de 2004.

Ainda sobre o aspecto cinematográfico, apenas registrando como caráter informativo e curioso que o último filme em que Marilyn Monroe trabalhou foi "Something's Got to Give" de 1962, que foi cancelado devido aos atrasos e faltas da atriz, e depois retomado, até que ocorreu a morte prematura. 

Norma Jeane nasceu no dia 1 de junho de 1926 em Los Angeles, Estados Unidos. Viveu grande parte da infância em orfanatos. Casou-se muito jovem aos 16 anos e após separar-se, teve ainda mais dois casamentos. Começou sua carreira como modelo por volta de 1945. Em 1946 adotou seu nome artístico, "Marilyn" de uma atriz da Broadway e "Monroe" do sobrenome de solteira de sua mãe. 

Em 1947 começou a fazer pequenas participações no cinema. Em 1948, estreou seu primeiro filme "Ladies of the Chorus" - Mentira Salvadora, interpretando uma loira dançarina que se apaixona por um homem rico.  

Em 1949 foi fotografada por Tom Kelley para um calendário. Em 1953 surgiu na primeira Playboy, atraindo os olhos do mundo

A partir de 1952 começou a ganhar papéis cada vez mais de destaque em filmes, devido as críticas favoráveis, como boa interpretação, simpatia e beleza. O primeiro de destaque foi "Niagara", causando uma certa euforia devido ao figurino, e em seguida a comédia musical "Gentlemen Prefer Blondes", onde cantava, sensualizava e era submetida a situações cômicas,  reagindo sempre como a chamada "loira burra", outra característica nítida em muitos de seus papéis.

Marilyn atuou em 29 filmes entre 1946 e 1961. Infelizmente morreu jovem aos 36 anos devido a uma overdose de barbitúricos na sua casa, em Los Angeles, no dia 5 de agosto de 1962.

MARILYN MONROE - CLOSE FACE CARICATURA MIGUEL SOUTO

Símbolo sexual, provocadora para muitos numa época conservadora, bela, atriz talentosa. 

Marilyn sofreu muito na infância, enfrentou diversos desafios para alcançar a fama e estrear no cinema, seu grande sonho. Quando tornou-se uma celebridade, conquistou mais holofotes com seu sorriso solto e carisma, mas talvez tantos flashes a incomodavam demais. 

Problemas pessoais e desilusões amorosas talvez a tornaram depressiva, impulsionando-a a buscar auxílio em mediamentos. Nos palcos, quase sempre alegre, no quarto, muitas vezes triste.

Algumas poucas imagens da época podem deixar escapar aquela tristeza, mas nunca saberemos o que aquela bela loira estava pensando ou exatamente o que estava enfrentando.

Sem dúvida, considero Marilyn Monroe como uma das mulheres mais belas do século!

Sobre a caricatura, tentei expressar em cores saturadas e diversas pinceladas digitais a jovialidade, entusiasmo, alegria e sedução de Marilyn. Um retrato único e moderno desse rosto encantador de traços suaves, meigos, até ingênuos e ao mesmo tempo convidativo. Acredito que ficou bem parecido.

Por fim, fiz o corpo com base em uma foto da própria atriz tirada durante o filme "O pecado mora ao lado" de 1955. Adicionei algumas cores e efeitos.

Obrigado por me acompanhar até aqui. ;)





Pesquisa, texto e arte:

Miguel Souto




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo(a), sua opinião é relevante. Esse espaço é todo seu. Críticas, retificações ou ratificações são sempre bem vindas. Não utilize, porém, palavrões ou depreciações. Obrigado.